Para acessar nossos conteúdos, utilize-se das ''seções'' no menu lateral direito!

Atividade nº04 - Controle ideológico


Boa tarde, meus nobres alunos!

1) Na sexta passada vimos o extrato do filme "Laranja Mecânica" e, paralelamente, lemos à respeito do Estado, da força legítima e dos aparelhos repressivos criados pelo Estado. De posse das informações e de seus conhecimentos sobre o assunto:

a) Escreva um texto relacionando as passagens do filme com a temática abordada em sala de aula. Caso haja dúvidas à respeito do filme e de sua trama, consulte sites e outros canais informativos para elucidações.

b) Escolha 1 autor, dentre os 3 citados na última aula (Marx, Foucault ou Althusser), e exponha sua teoria acerca do estado e do papel deste [estado]. Para embasar sua pesquisa, mencione dados biográficos e intervenha no texto com críticas e observações, traçando um paralelo com os dias de hoje.

E é feriado! ZzZ..!


Em virtude do feriado, nosso blog não receberá atualizações no final de semana!

Enquanto isso, que tal visitar um ótimo blog que contem aulas de música, com explicações para leigos e experientes..?

Então acesse http://saladmusica.wordpress.com/ ! Blog do meu amigo Fabrino, grande músico!

Aproveitem, pessoal! (enquanto isso estarei estudando música também!)

Pare... Pense... Verbalize!

"Mais do que um culto ao indivíduo, o Orkut é responsável por um culto ao personagem"

Você concorda com a frase acima? Expresse sua opinião!

Espírito do Tempo


Muitos alunos perguntam-me à respeito do filme Zeitgeist, produzido em 2007 por Peter Joseph. Para aqueles que não o conhecem, o respectivo filme apresenta "teorias da conspiração"* acerca do Cristianismo, do 11 de Setembro e de fatos políticos. Visto tais solicitações, dedico o post de hoje à esclarecer alguns pontos cruciais do filme.

Antes de mais nada: pensar filosoficamente implica em absorver determinado fato e analisar com criticismo e discernimento.

Primeiramente, muitos se chocam com as supostas "revelações" feitas em Zeitgeist. Neste caso, temos de partir do pressuposto que tudo ali abordado tem como propulsor visões divergentes dos fatos noticiados: optar pela verdade incondicional do filme é, antes de mais nada, aderir ao imediatismo - portanto, ao não filosófico. A discordância é fundamental em qualquer campo e o filme apresenta apenas mais uma visão de mundo que amplia nossos horizontes - mas não o esgota.

Deste modo, uma possível "confusão mental" decorrente do filme é interessante filosoficamente - pois, lembrem-se de Aristóteles, "A filosofia nasce do espanto". Mas isso não conclama a vitória de um dos lados.

Fatos... Quando nosso filme disseca o Cristianismo como instituição e o compara com religiões anteriores, tal não nega a figura de Deus nem, de forma alguma, deve servir como fator depreciativo da religião em questão. Obviamente, uma instituição tem pontos concordantes com outras anteriores pois, sobretudo, é fruto de seu tempo. Pensem: se um filme dissecar a Democracia grega e notar que temos ali um cerne da exclusão, isso não nos permite denegrir a imagem de um posterior sistema...

Tal visão também deve imperar quando se analisa o sistema político. Não é novidade entendermos que existem falhas no sistema - mas, como bem nos mostra outro filme ("Wakin´ Life"), pensarmos somente em ação não nos permitirá chegar à um bom lugar.

Sucintamente, podemos notar que para que possamos interpretar nosso filme filosoficamente devemos analisar todas as partes e não entregarmos à uma brevidade. O mundo possui problemas sim, em vários setores, mas acalmemos nossos ânimos: se cada um de nós fizermos nossa parte, um interessante futuro é possível. Já pensou que, perto de você mesmo, existe sempre alguém precisando de ajuda? Pense pequeno, para que possas crescer e alcançar o todo.

"A passos longos não subimos montanhas... a passos curtos, sim."

* - Uma teoria da conspiração é precisamente o contrário de uma teoria científica, já que não pode ser desmentida: as provas que comprovariam as teorias são utilizadas pelos seus defensores para provar que os conspiradores são tão perfeitos a ponto de poder camuflá-las. Ou seja... fique de olho!

Ps.: Muitos filósofos já notaram que um grande volume de coisas escritas somente nos servem para chocar: são pilhas e pilhas de folhas sem sentido nenhum - o que os neopositivistas chamavam de "pseudoproposições", por não terem conteúdo. Grandes filósofos, aliás, dedicaram parte de seus escritos para uma "defesa do senso comum", como o grande Moore. Então fica a pergunta: não seria nosso filme digno à entrar na lista de "devaneios e loucuras" sem sentido? Sempre desconfio destes materiais revolucionários demais...

Dedicarei, aliás, um post para a religião - como propiciadora de uma ética.

Futebol dos Filósofos!

Boa noite, meus nobres!

Muito humor e filosofia é a dica de hoje! Deliciem-se com o "Futebol dos Filósofos", da trupe Monty Phyton!

http://www.youtube.com/watch?v=moWZm66J_yM

Grande abraço a todos!

Caia na rede...


Boa noite, meus nobres amigos..!

Deixo-lhes hoje um interessante site filosófico, com o qual tenho tido contato há um certo tempo: Cybercultura e Democracia online.

Visitem e leiam os textos... ótimos temas, diversidade, escrita impecável e um tom crítico - tudo isso proporcionado por J. Francisco Saraiva de Sousa, amigo virtual de Portugal.

http://cyberdemocracia.blogspot.com/

Abraços a todos!

Para parar e pensar...


É como eu sempre grito - aflito, na rua do sossego...

Um país sem seus livros não possui história; sobretudo, um país sem educação não possui futuro.

Digno de devaneios..

Boa noite, nobres companheiros!

O tema abordado hoje, por este gentil servo que lhes fala, será "comportamento". Anunciando-me desta maneira pareço vago e confuso - necessitamos, pois, delimitar nosso campo. Vamos refletir, se permitirem, acerca do comportamento em salas de aulas - focando-me nas diferenças entre alunos e alunas, e amparadas pela minha experiência cotidiana.

A pergunta filosófica central é: existem diferenças entre gêneros que permitem generalizar comportamentos?

Comecemos analisando nosso campo de estudo. A sala de aula é, antes de mais nada, um âmbito plural e, possivelmente, o primeiro contato "socializante" no qual nossas crianças estão inseridas. Entendendo dessa forma, a escola torna-se ambiente de interações sem intervenção direta dos pais - fazendo com que seja a primeira experiência de independência. Ou seja, cabe à escola lidar com todos estes problemas - mas vamos adiante, senão não chegaremos ao ponto mencionado.

Já que a escola, no fundamento, possui uma tarefa de contato entre membros, torna-se uma "microsociedade": simula, entre seus componentes, toda uma sociedade - embora de forma reduzida...! Os cidadãos, o prefeito, os mercadores - todos estão lá, embora como alunos, diretores, cantineiros... isso ajuda-nos a reconsiderar a escola como espaço político. Seus membros, compostos de homens e mulheres, diferem-se entre si, obviamente - e chego, portanto, no clamado ponto.

Homens e mulheres, tanto na escola quanto numa "macrosociedade", se difem de muitas formas. Vemos gritantes diferenças numa instituição escolar porque é nesta em que há o desenvolvimento psiquico e biológico dos jovens, além do já citado "primeiro contato socializante". Com o tempo muitas diferenças tendem a desaparecer - embora outras se mantenham.

É reducionista tratar os meninos como brigões e as meninas como o extremo oposto: todos estes fatores são produtos culturais e em outro momento será explicado. Lidar com seres humanos é lidar com o imprevisto, com o nem sempre lógico. Problemas comportamentais não escolhem gênero e rotular ocasiona uma situação pré-conceituosa (entendida como algo antes de um conceito).

A conclusão que chegamos é: um espaço plural, como a escola, na qual temos alunos e alunas, reproduz fielmente uma sociedade - não há, portanto, possibilidade de rotularmos alunos. Se quisermos compreender porque há tantas diferenças deveremos considerar como base de interpretação: o social e o biológico.

Digno de devaneios, mas também de filosofia!

Ps.: Percebemos, a cada dia que se passa, mais discussões girando em torno do gênero - mulheres chegando ao poder, equiparando os salários, etc - e faço questão de tratar isto em outro tópico!