Para acessar nossos conteúdos, utilize-se das ''seções'' no menu lateral direito!

A filosofia no Enem!!



Muitos alunos me perguntam sobre a Filosofia no ENEM. Bem, sabemos que a forma de ingresso nas Universidades brasileiras, hoje em dia, passa por essa prova. Mas... há filosofia no ENEM? E a resposta é... sim! A filosofia está contida na prova que ocorre no primeiro dia, no caderno de Ciências Humanas e suas Tecnologias. Ano após ano tal sistema de ingresso vem cobrando mais a disciplina Filosofia dos alunos e, como podemos perceber, essa matéria tem se tornado a ''chave'' para se dar bem no processo. Mas não se preocupe! Estamos aqui para ajudá-lo. 

Aqui vai algumas informações básicas para você se dar bem no exame!

O que é cobrado sobre Filosofia na prova do ENEM?

1) Conhecimento dos principais autores - pensadores desde a Grécia, passando pela modernidade - até a contemporaneidade!! - vem aparecendo na prova. Não se limite ao estudo de somente um período. De atenção a história de cada 'tempo filosófico' e seus principais autores! 

2) Leitura de trechos filosóficos - essa dica é fundamental. Tenha contato com textos de cunho filosófico. Lembre-se que tais são mais 'densos' e 'argumentativos' que outros gêneros textuais. Aproveite e, de quebra, aprenda a argumentar para se dar bem (também!) na redação.

3) Entendimento dos principais conceitos filosóficos - democracia, ética, epistemologia, sofocracia... termos e mais termos podem aparecer na prova, exigindo um conhecimento prévio do candidato. Para tanto, observe que a filosofia é feita por conceitos e se debruce em tais para aprender a 'linguagem filosófica'!

4) Reflexão acerca de temáticas filosóficas tais como política, tipos de conhecimento e ética. - a prova cobrará que o aluno esteja integrado nas áreas filosóficas. Busque ler bastante sobre diversos temas... isso, com toda certeza, ajudará o candidato, também, nas outras questões de humanas.

Quais autores costumam aparecer na prova?

Bem, como não possuímos bola de cristal, podemos somente apontar para a tendência tomando como base os anos anteriores. Tenha os pré-socráticos, Platão, Aristóteles, Descartes, Hume em dia.

Quantas questões de filosofia?

Outra pergunta interessante mas sem uma resposta exata. O exame costuma ter de 5 a 10 questões de filosofia (o que é um número interessante). Se contarmos as questões que exigem 'conceitos filosóficos', esse número cresce bastante. Então, não se atenha a números e estude!

Qual matéria devo 'focar'?

Uma das maiores dúvidas dos alunos... e a resposta é: todas! Como o ENEM não contem matérias específicas (e sim grandes áreas), o vestibulando tem de possuir um certo conhecimento em cada uma. Aliado ao fato das disciplinas serem ''misturadas'', possuir conhecimento satisfatório sobre todas garantirá o sucesso almejado.

Em breve postarei mais 'dicas preciosas' para o ENEM! Um grande abraço e VAMOS QUE VAMOS!

Escolas Helenísticas



Chamamos de Escolas Helenísticas as quatro escolas gregas que surgiram após a morte de Sócrates. Possuindo a busca da felicidade como tema comum, tais escolas (e seus autores) ainda são estudadas nos dias atuais por muitos pesquisadores - haja visto a atualidade de seus temas. Vamos descobrir um pouco mais sobre elas?

Características gerais:

a) Escolas desenvolvidas no interior da Grécia (IV a.C. – I d.C.).
b) Cada escola ensina diferentes “modos de vida”, buscando (em comum) alcançar a felicidade.
c) Possuem herança socrática, ao conceberem que o homem está imerso em misérias – devendo, pois, refletir para alcançar a tranquilidade.
d) Muitos dos filósofos deste período se tornaram conselheiros de imperadores e nobres.

Principais ideias:

Epicurismo: Escola fundada por Epicuro (324 – 271 a.C.), propunha que o ser humano deve buscar o prazer,  pois tal é o princípio de uma vida feliz. Porém, distinguia dois tipos de prazeres: os duradouros (conversação, contemplação); e os imediatos (as paixões, que resulta em dor e sofrimento). Precisamos, pois, através da reflexão, dominar os prazeres imediatos para desfrutarmos de uma vida sem dor (ataraxia). 

Estoicismo: Segundo os estóicos, toda realidade existente é racional. Pela Filosofia podemos compreender a ordem racional deste mundo e viver segundo ele. Diferentemente dos epicuristas que propunham o prazer, os estóicos(principalmente Zenão) propõe o dever da compreensão como melhor caminho para a felicidade (eudaimonia). 

Ceticismo ou Pirronismo: Segundo essa escola (cujo principal autor é Pirro) todo conhecimento é incerto, duvidoso. Por isso devemos suspender nosso juízo e não afirmar nada como verdadeiro, com o intuito de alcançarmos a tranquilidade. Para tanto, seguiam o seguinte esquema: 

Cinismo: Escola cujo principal representante é Diógenes (chamado de Sócrates Louco). O nome provém da palavra grega kyon (cachorro), pois pregavam uma vida semelhante à dos cães. Segundo tal escola, o homem deve conhecer a si mesmo (tal como Sócrates pregava), desprezar todos os bens materiais e ter liberdade de discurso.

Um abraço, meus nobres! E vamos que vamos.