Para acessar nossos conteúdos, utilize-se das ''seções'' no menu lateral direito!

Pensar a educação... um ato necessário!



Talvez a temática que mais tenha suscitado reflexões neste que vos fala, atualmente, seja a educação. Para ser mais exato, nos fundamentos dessa atividade humana - ou seja, nas bases e características próprias do educar. É o que na Universidade chamamos de "Filosofia da Educação''. Como a Filosofia dita ''pura'', levantamos questões fundantes (ou básicas, de 'raiz') sobre o mundo (no caso, educativo) e tentamos, através da análise argumentativa, compreender o fenômeno. Algumas perguntas deste tipo são:

O que é educação? Como educar? Para que educar? Como educar o educador? Como ir além do 'aqui agora' e tornar o aluno um crítico do espaço que o cerca? Principalmente, são questões que todo professor deveria se colocar a pensar, vez em quando. Vamos colocar reflexões bases, que escrevi há pouco, para pensarmos coletivamente.

A educação tem traços inerentes ao seu fazer.É um processo exponencial, pois, quanto mais se educa, mais há a necessidade de continuar no ato investigativo. Dessa característica surge a noção de educação como um processo contínuo e inacabado.

Ninguém para, jamais, de aprender: o contato com o mundo, com o que espanta os seres, o coloca em processo contínuo de educar-se. A escola, portanto, é somente UM dos espaços onde ocorre esse ato. Por isso mesmo ela não pode ser responsabilizada, ademais, como único espaço formativo. Mas qual a importância da escola para o humano, já que foi construída historicamente e possui diversas alterações no seu âmago? Escola não é estritamente um local onde as aulas são lecionadas. É um espaço em que ocorrem interações psico-sociais entre seres diversos, que possuem histórias distintas e, portanto, subjetividades diferentes.

Bem, já deu pra notar que a Educação traz consigo várias importantes reflexões (que terão 'reflexo' na nossa vida como um todo!).
O professor que almeje se tornar educador deve se atentar para esse fato, transcendendo a ingenuidade de lidar com ''receptores de conhecimento''.

Com orgulho sou educador, agente educativo e formativo. Não detenho ''o'' saber, mas sim ''uma parcela'' de ''um'' saber que pode, em conjunto, transformar realidades! Avante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário